sábado, 19 de maio de 2007

Dez Prolegómenos editáveis, em forma de conselhos, para toda a Blogosfera Futura





1) A Blogosfera é um espaço virtualmente virgem, não-poluente, e imediatamente acessível, no presente, ou futuro próximo, a qualquer habitante da Aldeia Global.

2) As informações veiculadas na Blogosfera devem tender para assegurar o máximo de dados, alertas e felicidade aos seus usuários.

3) Qualquer recurso inserido na Blogosfera faz imediatamente parte do Património Comum do habitante da Aldeia Global, e, como tal, deve ser o mais amplamente difundido, e referenciado.

4) A Blogosfera rege-se pelo aforismo de "Máxima informação=Máxima protecção".

5) A Blogosfera deve formar, informar e divertir.

6) Está a Blogosfera, por princípios genéticos, imunizada contra quaisquer tipos de poluição, que nos tornaram o Mundo insuportável, nomeadamente, filtragem de informações, servilismo a grupos, políticos, económicos, de pressão, ou simplesmente destinados a manipular, ou intoxicar, a opinião própria de qualquer aldeão global.

7) O seu único vector condutor chama-se "Liberdade de Expressão", e está tipificado e exemplificado em todos os mais altos momentos em que ela se exerceu, na História Pública da Humanidade.

8) Em cada Cultura e Regime, reserva-se a Blogosfera o direito de exercer o dever de informar os outros, sempre que se tenham esgotado, ou se suspeite de que se vão esgotar, os meios tradicionais de transmissão da Verdade, e só da Verdade.

9) A propriedade da Blogosfera é das gerações presentes, assim como a responsabilidade de assegurar o seu máximo usufruto por todas as gerações seguintes.

10) Os princípios atrás expostos são propriedade intelectual de todos os seus leitores, que devem ter, em cada instante, o direito de os invocar e o dever de os fazer chegar ao maior número de Concidadãos Globais, podendo, em qualquer instante, ser reescritos, no sentido da economia e da Perfeição, e inseridos, então, na Declaração Global dos Direitos do Universo.

84 comentários:

CHEVALIER DE PAS disse...

Faz-me lembrar os prolegómenos de estatística!

Arrebenta disse...

Acredite que não: são os prolegómenos da SUA/NOSSA sobrevivência futura, caso pense, já que escreve

Moriae disse...

"Last but not least" e do fim para o princípio ... do Universo em todas as suas dimensões.
Solidariedade!

São Cível disse...

Presente!

Kaos disse...

Já cá estive e cá voltarei com ideias (se entretanto tiver alguma=.

FMS disse...

Aye!

Dunyazade disse...

Basicamente as regras que aplico à net são aquelas com que sempre vivi IRL:

1) Somos Todos Iguais
2) O que admito para os outros admito para mim

Joshua disse...

Eis princípios da mais crucial crucialidade! Eis uma forma de se ser novo Moisés nesta coisa de afirmar a Verdade Toda, migalha a migalha!

O Profano disse...

tentarei contribuir com algo positivo...

Publicitarei a iniciativa no meu blog pessoal.

Abr...Prof...

Miornos da Covia disse...

No ponto 2 devia-se acrescentar que não é ético praticar o Plágio.

luikki disse...

mais um!
nem um milímetro de espaço para a corja!!!

Punctum Contra Punctum disse...

Tudo pode depender da nossa capacidade de resistência e de reacção. Mas desta vez, unidos!

Jack . disse...

No que depender de mim, tudo bem.

cris disse...

Vou divulgar. A esta hora o neurónio desligpu-se. Mas prometo reflectir.

Kaotica disse...

Concordo com os prolegómenos no essencial. Talvez haja a possibilidade de lhes dar uma ordem diferente, colocando a liberdade de expressão no topo. Este é o princípio essencial pelo qual a blogosfera se deve reger, a par com a manutenção da mais total independência em relação aos podres poderes. Podem contar comigo nesta demanda! No Passará!

brit com disse...

Colocarei no Cartel, mas concordo também com a Kaotica.

António Balbino Caldeira disse...

Algumas sugestões ao correr da pena e após reflexão ainda sumária:

1. Referência à Declaração Universal dos Direitos do Homem, nomeadamente o seu Art. 19.º - "Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão".

2. Referência ao artigo 2.º (Estado de direito democrático) da Constituição da República Portuguesa: "A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa."

3. No 8.º ponto: eliminação de "sempre que se tenham esgotado, ou se suspeite de que se vão esgotar, os meios tradicionais do dever de transmissão da Verdade e só da Verdade". Em vez disso: "todos têm o direito dee informar e expressar a sua opinião". Porque não podemos ceder no princípio de que é a Verdade que efectivamente servimos.

4. Eliminava também a expressão "não-poluente" no ponto 1, para fugir do politicamente correcto nesta Constituição da Blogosfera que se quer não-programática e possa, portanto, ser subscrita por qualquer cidadão livre.

Viva a liberdade!

Laurentina disse...

Estou solidária com o que aqui se escreveu e não "deslargo"...

Vou publicitar no meu Blog

FASCISMO NUNCA MAIS!!!
IRRA!!!
QUERO PENSAR.

Beeijão grande

Moriae disse...

Excelente contributo, António!
Digam-me, que tal passar-se a um abaixo-assinado para que este assunto seja debatido na Assembleia da República? [mesmo tendo em conta o actual funcionamento da mesma]?
Abraço a todos!

Isabel-F. disse...

Concordo no geral e ainda com as notas indicadas pelo António Balbino Caldeira ....

É ainda minha opinião que a Blogosfera, que informa, se pretende ser credível, não pode ser subscrita por anónimos, que se escondem por trás de nicks e que ninguém sabe quem são ....

Um abraço

comandante guélas disse...

“Quando o inspector Olegário se preparava para a conferência de imprensa às seis horas da tarde, o Governo deu-lhe ordem para adiar por meia hora, para que o monhé pudesse anunciar oficialmente a sua candidatura à Câmara Municipal de Lisboa. Assim se vê a importância que o Zé & Companhia dão ao rapto da Madeleine por uma rede pedófila. Não nos podemos esquecer que foram eles que fizeram de tudo para safar os amigos implicados na Casa Pia”.
Quitéria Barbuda

www.riapa.pt.to

Pedro Barbosa Pinto disse...

"O povo é rebelde porque os seus governantes são demasiado arrojados"
"Na condução das questões humanas não existe lei melhor do que o auto controle"

Dois pensamentos de Lao Tsé que explicam porque serei assíduo neste espaço.

João Rato disse...

Presente

Arrebenta disse...

Aguardamos todas as vossas contribuições, no sentido de tornar o texto cada vez mais preciso e INVULNERÁVEL. De não esquecer que, qaunto mais simples e lapidares forem os Princípios, de mais fácil memória e eficácia serão.
Obrigado a todos os que já participaram e virão a participar.

Já está disponível, no
http://wehavekaosinthegarden.blogspot.com/

o logótipo para a Blogosfera Futura versus Liberdade de Expressão

brit com disse...

Parabéns pela iniciativa! A Blogosfera agradece!

FMS disse...

Alinho com a Moriae, recolhia-se já umas quantas assinaturas.

João Rato disse...

Acreditem na ignorância, mas eu não sei associar a imagem - blogosfera futura - no layout do meu blog ao link dos "dez prolegónemos". Se não me ajudarem, o mais provável é não conseguir colaborar nesta louvável iniciativa!

Kaotica disse...

Alinho no abaixo-assinado, o qual deve assumir a forma de petição e poder ser subscrito via Net. Quanto ao uso de nicks, quem os usa lá deve ter os seus motivos (só cada um pode falar por si próprio). Quanto a mim, não terei qualquer problema em dar a cara no momento certo, por exemplo quando for caso de ir uma delegação entregar as assinaturas à Assembleia. Aí é que se vai ver quanto vale um nickname ou quanto vale um nome e uma foto (que ninguém sabe se são ou não verdadeiros) -- Afinal, que menos valia tinha um Alvaro de Campos comparado com um Fernando Pessoa, só para pôr as coisas a um outro nível mais elevado?
Boas contribuições!

Arrebenta disse...

A guerra mais grave desencadeou-se hoje mesmo, na "Wikipédia", onde os Brasileiros decidiram colocar, em votação, para eliminação (!), a página "Blogosfera Portuguesa".
A situação é muito grave, e agradece-se a quem tenha o poder de voto, que intervenha, e difunda, o mais possível, este apelo

http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:P%C3%A1ginas_para_eliminar/Blogosfera_Portuguesa

comandante guélas disse...

"Cuidado com o que se diz e se escreve ou nem os ossos se aproveitam"

TSOR

(Tribunal do Santo Ofício da RIAPA)

www.riapa.pt.to

Zé_Luis_Paxaxa disse...

Qualquer tentativa de regulamentação, ou criação de uma narrativa matriz para qualquer coisa que exista, comporta um mecanismo de exclusão. Tudo o que não está "dentro" é, obrigatoriamente, um "fora"; e se eu quiser ter um blogue, mas não quiser informar, por exemplo?
O que é "informar"? Posso propor a eliminação de um blogue que não "informe"?
É preciso muito cuidado com isto. Percebo que a intenção é boa, mas criar regras, ou conselhos, ou uma deontologia da blogosfera, não é o mesmo que tentou fazer o Querido? Não é dar um excelente pretexto para que, de mão-beijada, uma coisa nova, e livre, e boa por isso mesmo, seja entregue à alçada da lei, e da responsabilidade democrática hipócrita, para que possa prendê-la, amarrá-la, regulamentá-la, e, em última análise, calá-la?

Não é, no fundo, tentar com que seja o sentido e dever da responsabilidade que, aos poucos, transforme um espaço vibrante (para o bem e para o mal) em algo muito, mas muito mais asséptico, e como tal menos "perigoso" para o poder instituido, e para o actual sistema de desinformação?

Esta é a minha contribuição para a discussão. Não subscrevo uma linha editorial para a blogosfera, nem creio que alguém, em particular, tenha esse direito. Mas, reitero, sei que a intenção é boa. Mas pensem naquilo que digo, por favor.

Seria no mínimo irónico que fosse de nós, blogonautas, o princípio do fim da blogosfera tal como ela existe hoje em dia. A mesma que ajudou a levantar algumas ondas... sem haver regulamentação. E justamente por isso.

Punctum Contra Punctum disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Punctum Contra Punctum disse...

Zé_Luís:

Pensa em "informação" como um conceito mais lato, à luz da teoria dos sistemas.

Zé_Luis_Paxaxa disse...

Ainda assim, cara Punctum, não concordo. Recusarei, como já tenho dito, qualquer tentativa de regulamentação ou deontologia da blogosfera, porque acredito que são a morte de um espaço livre. É que a verdadeira liberdade, para mim, não tem regras. Depois há a "liberdade responsável", que é a que se pretenderá instituir, mas foi exactamente a pretexto dessa "liberdade responsável" que
se começou a amestrar os meios de comunicação.

Depois disto, entregue de bandeja por nós às mãos do Estado e do Sistema Legal - mortinhos como andam por segurar esta coisinha chamada Blogoesfera, e peritos na subversão das melhores ideias tornadas lei a seu bel-prazer -surge o lado perverso da coisa: o direito à propriedade privada na blogosfera (portanto, plágio), o direito à integridade pessoal na blogosfera, enfim, os mesmos mecanismos legais que calam os jornais e as televisões e os tornam vozes oficiais do sistema.

À luz destes princípios, este blogue: http://motoratasdemarte.blogspot.com
enquadra-se onde?
É informativo? Pode divertir, mas eu posso não o achar divertido. O que leva, imediatamente, à seguinte questão:
Tem direito a existir? E mais, a quem é assegurado o direito (e o poder) de decidir o que deve, ou não, existir?

Acredito mesmo que este é um caminho perigoso a seguir. Na maior parte das vezes, costumo estar mais ou menos com o Arrebenta. Ele que me perdoe esta "ousadia" de o contrariar, e espero bem que não me torne alvo de um dos seus fantásticos textos, porque, além de o estimar muito, não quero mesmo nada tornar-me seu inimigo... só que infelizente, neste caso, não concordo absolutamente com nada disto, não pelo que é dito, em si, mas pelo pretexto que pode significar para o rumo que a blogosfera irá tomar. Basta surgirem as primeiras "regras", para surgirem muitas mais.
Apesar de lhe reconhecer a boa intenção, não reconheço a ninguém o direito de fazer postulados, que sejam emitidos como outra coisa que não uma opinião pessoal. Do que difere, afinal, isto do que fez o Paulo mais que Queridíssimo? A minha reacção foi exactamente a mesma que aqui estou a ter, embora nesse caso, a estima pelo autor fosse bem menor...

Sugiro, para quem esteja interessado, uma leitura: http://ofimdarevolucao.blogspot.com

Não é exactamente sobre esta temática, mas pode dar mais umas luzes sobre o assunto. Depois, cada um faça aquilo que achar melhor. Esta é apenas a minha opinião, mas encarem-na como uma contribuição para a discussão sobre este assunto. È que a blogosfera é, afinal, de todos, e temos que pensar em todos.

O Profano disse...

o Zé Luis tem alguma razão no que diz...
O que poderia acontecer no futuro como uma consequência directa ao ser criada uma regulamentação é o que está acontecer com o caso "wikipédia/Braganza.
Sempre que alguem dos Braganza quer por algo lá, por norma eles querem apagar logo...

E não sucederia isto a todos os blogs que fossem desalhinhados ou que vivessem á margem das normas instituidas...?!
Não aconteceria a exclusão de blogs que fossem do tipo dos "braganza", desalinhados?!

E os Braganza irião "viver" áparte?!

Não querendo pessoalizar a situação: temos de ter consciência de que ao ser criada uma regulamentação ou carta de intenções, ela deve ser ponderada para afastar potenciais abusos por que deter o "poder" de a controlar/regulamentar.

Não quero dizer com isto que sou contra esta discussão bastante salutar, porque ela mesmo deve existir e por isso saudo o Arrebenta por ter levantado esta questão e ter querido passá-la á práctica.
Temos é de ter cuidado com o que sair desta eventual regulamentação...

Juntos venceremos....

São Cível disse...

Até agora não me tinha interessado muito por isto e foi o Zé_Luis _Paxaxa com o seu comentário aqui que me despertou o desejo de o fazer.
Creio haver neste assunto um tremendo equívoco: um blog é um diário virtual acessível a todos o que o queiram ler. Certo?
Pode ser individual ou colectivo. Pode ser introvertido ou extrovertido, de intervenção social ou autista, sério ou infantil, pode ter as milhentas facetas que os seus autores lhes quiserem dar.
Um blog deveria "estar sujeito" a duas liberdades absolutas: a liberdade de ser escrito como o seu autor desejar e a liberdade de ser lido por quem o desejar fazer. Não acredito que, se até hoje, nos 10 anos da sua existência, nada de mau aconteceu ao mundo por os blogues terem usufruto da liberdade total, seja agora necessário impôr-lhe uma "Constituição". Em qualquer diário manuscrito por um qualquer indivíduo naquele seu íntimo livro isso alguma vez aconteceu?
Os blogs não entram pela casa de cada um adentro. Os blogues são a casa criativa de cada um e só lá entra quem o deseja.
As regras são necessárias para o bom relacionamento interpessoal. O pensamento não precisa delas.

Maria disse...

Não estou em total desacordo com esta iniciativa, mas acho que poderíamos começar por fiscalizar a nossa Constituição e quem usa e abusa dela, que acham?
Na bloguesfera um código de conduta é necessário? Ou será apenas a consciência de cada um que o fará nascer?
De qualquer modo irei ficar atenta e contribuir no que achar correcto.
Cumps.

Moriae disse...

Bom ... nada como defender a liberdade e já que os governos do mundo estão a desenvolver de forma atroz a censura na internet, que tal darmos a volta ao texto e passar a lutar contra os "opressores"? Se nos incluirmos num compartimento ficaremos limitados, não será? Assim, parece-me que, sem esquecer a boa intenção, é melhor não colaborar na regulamentação do que quer que seja porque de espartilhos estamos nós fartos.
Este assunto é complexo por isso esta opinião não é vinculatória. Aguardo desenvolvimentos!
Abraço a todos,
M.

Nota: quanto à identidade, concordo plenamente com a Kaotica. Se todos decidirem dar a cara, eu não me faço rogada. Aliás, é coisa que acabo sempre por fazer, dizer quem sou. Mas lá está, esta coisa é complexa e volta e meia temos que nos defender de alguns ataques (há muitos doidos por aí!)

Desculpem se exagerei ...

H. Sousa disse...

Na onda da intervenção anterior, de moriae, eu propunha um único artigo que dissesse que não há qualquer artigo.

Zé_Luis_Paxaxa disse...

Eu proponho que em vez de um código de conduta, se faça uma carta de direitos do blogger, de forma a proteger-se contra repercussões futuras (com Rui Pereira onde está a coisa pia de outra maneira). Posto isto, embora concorde com o h.sousa, também estimo bem que o Querido se foda, e estimo muito mais o meu direito de o mandar foder-se, que eu não sou obrigado a respeitar o Paulo Querido, por muito que isso choque o próprio.

1 - Os blogues são e serão sempre espaços de opinião pessoal, e não meios de comunicação e informação oficiais. Não podem ser imputados aos blogues, de forma alguma, as responsabilidades dos meios de comunicação oficiais.

2 - A opinião pessoal é livre e não pode, de forma alguma, ser limitada ou punida criminalmente.

3 - Os conteúdos dos blogues são da inteira responsabilidade dos seus autores. Não será admitida a nenhuma entidade, seja qual for a sua natureza, a censura ou ingerência editorial nestes espaços privados.

Estes direitos, baseados de alguma forma na Teoria da Livre Informação, acreditam que num mercado livre de concorrência, como o é a blogosfera, e, em última análise, a Internet, a boa informação tenderá a expulsar a má, naturalmente. E os colaboradores do braganzza sabem isso melhor que ninguém: se eu publicar uma coisa menos correcta, como tantas vezes aconteceu, logo surge uma miríade de anónimos, e não só, a corrigir, a cair em cima.

O senhor pacheco pereira não admite comentários porquê? O senhor António Costa criou um blogue de via unilateral (ou seja, sem possibilidade de comentários) porquê?

E eu poder mandá-lo foder-se, sem ter receio de ser processado, não é afinal um direito que me assiste, da mesma forma que o António Balbino Caldeira tem o direito (e não o dever, repare-se) de assinar com o seu próprio nome, e de fazer as investigações que fez, por conta própria, e publicar as SUAS conclusões no SEU espaço pessoal?

O Sócrates veio para a blogosfera defender-se? Não, foi à televisão, um meio que controla.

Escreverei uma coisa mais ponderada e numa vertente mais académica sobre este assunto no Braganzza, já que era, aliás, um tema que me estava em mente há muito tempo.

Zé_Luis_Paxaxa disse...

"E os colaboradores do braganzza sabem isso melhor que ninguém: se eu publicar uma coisa menos correcta, como tantas vezes aconteceu, logo surge uma miríade de anónimos, e não só, a corrigir, a cair em cima".

Ou seja, (esqueci-me de acrescentar), acho que a blogosfera se regula a si própria. Conferir o poder de a regular a quem quer que seja, neste momento, irá pôr-lhe fim!

Moriae disse...

Lindooooooo!!! De acordo Zé Luís! (e acredita que vale bem a pena ler o teu texto neste contexto!)
Abraço,
M.

Kaotica disse...

Ponto da situação:

1. A blogosfera é um espaço de liberdade de expressão
2. A responsabilidade dos blogs deve limita-se à criatividade dos seus intervenientes. Como espaço de liberdade de expressão é permitido o direito à opinião, seja ela qual for.
3. Como espaço de liberdade de expressão é permitido o direito à opinião, seja ela qual for.
4. Nenhuma entidade estatal ou privada deverá ter o direito de manipular o conteúdo dos blogs. Muito menos o poderá suprimir da blogosfera
5.Aos autores dos blogs se advoga o direito de escolher o teor e os conteúdos da sua linha editorial e de os divulgar usando os meios disponíveis na Net.

Quanto à questão da polémica levantada pelo Paxaxa, só discordo no essencial, ou seja não podemos ignorar que estão a regular a Blogosfera. Posto isto talvez seja o momento de também criarmos as nossas próprias regras, afirmando-as como os nossos direitos (essa é uma boa ideia mas só ganhará eficácia se for afirmada). Aqui entra a questão da necessidade de posteriormente se subscrever esses direitos, passando a sim a constituir uma forma de salvaguardar dos nossos direitos de utilizadores. E de a entregar não só à Assembleia da Republica, onde os deputados de cú pouco fazem, mas também levando essa subscrição a outros níveis, aos centros de decisão do coio da UE, onde estas coisas se combinam e regulam.
Desculpem se me alonguei. É só inquietação, inquietação...

José Pedro Ribeiro disse...

Al. 6): "(...) servilismo a grupos, políticos, económicos, de pressão, ou simplesmente...". Não está uma vírgula a mais, a seguir a "grupos"? E estando, não deveria incluir grupos (elites) culturais?
Vou colocar a ligação no meu blogue. Lembrando o que aconteceu ao CÁ-70, talvez fosse de considerar uma associação da lusosfera para defesa da liberdade de expressão dos aldeões. E apesar dos riscos, acho que não se deve nunca tentar eliminar o direito ao anonimato: pessoas há que precisam dele para se poderem exprimir, sem recear represálias. É um pouco como o voto secreto, não?
Parabéns pela iniciativa!
José Pedro

José Pedro Ribeiro disse...

Depois de lidos os comentários, fico com algum receio. Regulamentar não é coisa fácil nem pode ser leviana. A al. 5), por exemplo, preocupa-me bastante: Se eu quiser fazer uma postagem que nem forma, nem informa, nem diverte, não posso. Estou proibido. A partir desse momento, os meus inimigos passarão a ser aqueles que redigiram a regulamentação da blogosfera portuguesa que passarei a denominar censores. Os limites do blogger não poderão ir além dos que estão consignados nos direitos de liberdade de expressão aplicados à imprensa e outros veículos e que, por norma, se relacionam com insulto, apelos à violência, ao ódio e ao crime, a difamação e calúnia,... Penso que basta pegar na legislação existente para a imprensa, que se baseia no Direito à Liberdade de Expressão consignado na Constituição da República Portuguesa, e aplicá-la à Lusosfera. Passo seguinte, oficializá-la, i. é, torná-la letra de Lei.

esferasdomadas disse...

http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u22081.shtml

esferasdomadasdentroeforadoblogspot.com.blogspot.com

António Balbino Caldeira disse...

Algumas notas curtas:

1. Entendo a Constituição da Blogosfera como uma carta de direitos e não como uma forma de auto-censura. Só nesse sentido faz sentido.

2. Concordo com o princípio de máxima liberdade=máxima protecção.

5. Talvez se possa reescrever o ponto 5) para "A blogosfera é o território da livre expressão das pessoas" para acomodar qualquer uso possível dos indivíduos.

aDesenhar disse...

presente!

G.R. disse...

Olá a todos!
Antes de transmitir a minha opinião, gostaria de saudar esta iniciativa, a qual julgo de grande interesse, valor e pertinência.
No entanto, a meu ver, a blogosfera deve estar alicerçada na liberdade.
A blogosfera é composta por indivíduos muito heterogéneos. Se existiu uma verdadeira Babel, a blogos é a Babel da actualidade. No mesmo espaço, convivem pessoas de diferentes línguas, das mais díspares religiões, raças, habilitações, interesses, motivações, orientações sexuais, profissões, culturas e sei lá que mais. Um código de conduta, um conjunto de leis ou de prolegómenos que consiga por de acordo esta miríade de pessoas, para além de me parecer um acto de presunção, é a mais pura utopia. Concordo porém, que a blogosfera se deve pautar pelo bom senso, pelo sentido crítico, pela honestidade, pelas regras da boa educação e pela civilidade. No entanto, tal não deve ser imposto por regras rígidas e inibidoras da liberdade de cada um.
Para já, isto é aquilo que penso!
Um abraço para todos!

Irene disse...

um preâmbulo atractivo quer pelo seu valor incisivo, quer pela polémica que pode gerar...
aguardo novidades

Flávio disse...

Adorei o blog e os mandamentos mas... o que é um prolegómano?

quim p. disse...

Estou com o Zlipax, porventura mais anarca: para quê inventar amarras?

Por mim, repetindo algo já velho:

$ único É PROIBIDO PROIBIR.

Zé_Luis_Paxaxa disse...

Toda a questão, caro quim p., passa justamente pelo facto de eu não ser anarca. Agora, que existe uma conotação pejorativa no que diz respeito à palavra "anarquia", existe. E quer saber porquê? Porque, na anarquia, das duas uma: ou o poder está homogénea e totalmente distribuido, ou não existe. O poder escapa das mãos do poder.

Percebe porquê que a total liberdade é tão perigosa? É essa que quero preservar, a todo o custo. O que não implica, no entanto, que de repente, a blogosfera se torne noutra coisa do que aquilo que nunca foi, mas que de repente se quer fazer passar: um antro de pedófilos, de caluniadores, de boateiros, de brejeiros, de parafilíacos, pornógrafos e tarados sexuais, enfim, todos e cada um de nós, e tantas outras dessas pessoas que a "Internet" supostamente está cheia.

As pessoas têm bom senso. Confiem nelas. Restringi-las pelo medo do que possam fazer, além de ser um complexo burocrático muito... português (joão gil, como todas as putas como eu gostam de citar). E não basta isso. Obriguem o estado a reconhecer este direito alienável.

Aplicar aos blogues as leis da imprensa? JAMAIS. -> http://ofimdarevolucao.blogspot.com

(a primeira parte: Espaços e não-espaços da sociedade de informação)

Informem-se. Compreendam o que está aqui verdadeiramente em causa.
E depois, unam-se. Temos oportunidade de fazer aqui uma coisa boa. Não a deitem a perder, ou estará tudo perdido.

José Pedro Ribeiro disse...

Sim, tem razão, Zé Luís Paxaxa. De facto, precipitei-me quando falei na lei da imprensa. Logo, porque os bloggers não são jornalistas, embora jornalistas possam ser também bloggers (bloguistas?). Os blogues são um meio privilegiado para uso e aplicação da Liberdade de Expressão e podem assumir infindos formatos diferentes, tal como diferentes são todas as pessoas. Ser blogger não é uma profissão. É um dar-se a conhecer, é um meio de expressão democrático e livre de pensamentos e estados de alma, de realizações mais ou menos criativas, uma reserva de liberdade quando noutros meios ela é restringida. É isso que é preciso preservar e por isso julgo importante garantir direitos e não estabelecer regras e moralizações. Talvez seja melhor deixar como está. No entanto, noutros países, como a China e Arábia Saudita, os governos, em conluio com Google, Yahoo e Microsoft, já têm fechado blogues. Em Portugal conheço o caso da Póvoa do Varzim com o CÁ-70, tentativa falhada de encerramento de um blogue que não agrada ao poder autárquico. No Brasil também já houve tentativas. Talvez seja necessária uma espécie de associativismo?
P.S.: Desculpe a pressa...

Zé_Luis_Paxaxa disse...

A pressa? idem, idem. obviamente, ainda há pouco, era direito inalienável que queria dizer, tal como nem sequer continuei a frase do joao gil, mas isso não importa.

Importa, sim, esse associativismo, um lobby, instituido pelos verdadeiros bloggers, e não pelos pseudo-bloggers de uma só via como os pachecos e os costas e os afins, que fazem pasquins em Internet, e que não fazem ideia do que é um blogue - e o blogue, na sua essência, não é só comunicar, é isto também, esta caixa de comentários, que liga os cidadãos comuns como nunca estiveram ligados antes, e que lhes permite partilhar as suas opiniões sem serem "mediados", porque, lá está, a opinião livre é perigosa.

E, mais importante que tudo isto, é sermos rápidos a mexer-nos, porque eles também o estão a fazer. É uma corrida ao pote de ouro, e creio que, com o estado de coisas actual - querem mais que o Charrua? -, não podemos dar-nos ao luxo de a perder.

Zé_Luis_Paxaxa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zé_Luis_Paxaxa disse...

José Gil :X Desculpem o lapso.

A pressa! Mas tem mesmo que ser! Só não pode haver erros na Carta de Direitos!

quim p. disse...

Zlipax, desculpa a 'anarquice', mas não era para levares à letra.

O que é facto é eu não gosto de manuais de etiqueta, pois logo vislumbro, Queridos, Bobones e outras porcarias.

Fui espreitar o teu ensaio, mas aquilo é muito 'pesado' para ler em blogue.
Quando tiver tempo talvez faça um print, para ler e me instruir.

Pedro Barbosa Pinto disse...

Como disse no meu post anterior, tenho sido assíduo para ver onde chegam, mas vejo-vos às voltas sem chegarem a lado nenhum.

Deixo-vos outra máxima de Lao Tzé

"O sábio não tem conceitos inflexíveis. Adapta-se aos dos outros"

egosfera disse...

Tou fora!
Alergia a regras (conselho médico).

disse...

Para ver ou rever:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Novamente: política e futebol e algo mais ...

Visitem!

jatavares disse...

Concordo

e-konoklasta disse...

Com a rapidez do aparecimento e evolução de novas tecnologias e meios de comunicação nestes últimos anos, creio que apenas podemos dizer que temos a blogosfera presente e por enquanto sem códigos. Tanto melhor.

Qualquer bloguer tem um certo número de regras implicitas que são ou não são aceites pelos internautas reconhecíveis ou anónimos que frequentam os seus blogues.

Não me parece útil definir e fixar regulamentos num domínio onde existe a maior diversidade, mobilidade e até criatividade. A lei que se aplica à sociedade civil é a que se deve aplicar à blogosfera (liberdade é também responsabilidade).

Parecer-me-ia mais útil criar um média livre - uma espécie de agência noticiosa independente - aí sim, com um certo número de regras que o tornassem credível e alternativo aos médias tradicionais dependentes de poderes políticos e económicos. Um média cidadão plural, sério, aberto à inscrição de cidadãos comuns ou jornalistas cujo objectivo seria uma informação comprovada o mais objectiva e independente possível, para que não pudesse ser posta em dúvida como difamatória ou parcial. Neste projecto, alinho, desde já.

FMS disse...

Bom, antes de mais, que não se perca a ideia das assinaturas, right?

C.D. Sousa disse...

em primeiro lugar, acho que o texto principal, o que está no post, devia ser substituído.

Margarida disse...

Arrebenta?
Estamos solidários!

O Profano disse...

Eu no meu blog pessoal tenho exposto no cabeçalho do blog as minhas proprias regras de utilização e penso, sem falsas modéstias, as que são as necessárias para a base de uma carta de iñtenções blogosféricas.
Apesar das mesmas serem um pouco vagas e sendo deixado á consideração dos visitantes o respeito das mesmas.

Moriae disse...

Centro de Media Independente http://pt.indymedia.org/

e-konoklasta disse...

Moriae,

claro que existe o Indymedia mas que é, essencialmente, um média de informação internacional e com uma perspectiva antiglobalização. Estava a ver um média cidadão mais pluralista e mais centrado nos nossos acontecimentos nacionais como, por exemplo, o AGORAVOX.

Zé_Luis_Paxaxa disse...

mas.. não podemos ter um show de variedades? tipo, uma imagem pornográfica, uma notícia, uma imagem pornográfica, uma notícia?

vá, já me estou a sabotar, mas olhe, é assim a vida.

e-konoklasta disse...

zlipax,

sabota-te à vontade... a blogosfera ainda pode servir para isso, enquanto não apertarem o cerco.

agora que precisamos de informação independente precisamos. já deito pelos olhos os nossos médias e os blogues para serem credíveis precisam de ser um pouco mais rigorosos, com o sem imagens pronográficas, estou-me nas tintas...

Anthrax disse...

Caro Arrebenta,

Apoiado.

BlogoLogoLogo disse...

Join the Blue Ribbon Online Free Speech Campaign!
A defesa da liberdade de expressão é importante não só em Portugal mas também em toda a blogosfera.
Permitam-me sugerir a afixação nos blogues aderentes do "boneco" da campanha, em http://www.eff.org/br/ .

Chamo a atenção que há mais blogosfera para além da do "blogspot". Ora os autores desses outros blogues estão inibidos de postar comentários nesta caixa (devido ao "required field" na password).

david santos disse...

Estou aqui para colaborar contra alguns bandidos que ainda se passeiam por esta área. Já tenho sido vítima de algum banditismo. Estou totalmente de acordo com os pontos todos, embora acredite que o número 2 "esteja" incompleto. Lhe falte fazer menção ao plágio, embora admita que ele seja feito, mas sempre após consulta ao criador.
Também gostaria que todos os blogues, em caso de comentários, deixassem o seu número do IP no blogue comentado.
Já vi alguns blogues, que sempre que são visitados, o número do IP do visitante fica sempre registado. Eu não sei como isto de faz, mas gostaria de saber.
Obrigado pela iniciativa.
Parabéns.
Bom fim-de-semana

Luna disse...

Há várias formas de atacar um blogue, sem recorrer a mensagens escritas anónimas. Uma delas é quando vários ips, a nível mundial, fazem uma pesquisa no google, utilizando sempre as mesmas palavras. Não seria grave numa situação normal, mas quando quem escreve está a passar por uma fase mais depressiva, isto pode efectivamente ser um problema. Não sei se voltarei a reabrir o meu espaço, porque não esperava que uma situação dessas me acontecesse. Quando iniciei o meu blogue, quis apenas entender alguns factos da minha vida e tentar analisá-los racionalmente, mas parece que incomodei algo ou alguém ... Não sei por que razão confio no Arrebenta, mas dou o meu apoio total a esta iniciativa.

São Cível disse...

Não há blogosfera.
Há blogosferas.

Acreditar que se pode impôr regras, dar conselhos ou organizar a casa dos outros, além de peregrina é uma ideia já de si perversa.
Não será uma brincadeira de crianças isto de uma centena de bloguistas tugas quererem delinear os prolegómenos com que se irão reger os mais de 50 milhões de blogues e bloguistas por esses mundo fora?

E se a mim não me agradarem os prolegómenos aqui delineados? Poderei aderir aos prolegómenos que um qualquer grupo de 100 bloguistas japoneses também anda a delinear?
Espero bem que sim.
É que no Japão existe mais de 1 milhão de bloguistas e não creio que os prolegómenos aqui a virem à luz, sensibilize muito um único deles.
A net do mundo "livre" não tem limites. Mesmo para aqueles que se deformaram por viver num universo salazarento e continuam a pensar em termos de fronteiras intransponíveis.

Se um dia, nesse incógnito e temido futuro, houver fronteiras na net ou os blogues tiverem de existir sob a mesma "ordem" universal, o mundo estará tão mal, que a blogosfera será o que menos importará para a nossa sobrevivência.

José Pedro Ribeiro disse...

Na verdade, o que estão a tentar fazer já existe: EFF: Blue Ribbon Campaign.

Maria disse...

Como o prometido é devido, voltei. Depois de uma análise atenta aos comentários fico extasiada perante tanta verbalidade e inutilidade.

Prolegómenos???
do Gr. prolegómena < pró, antes + légo, dizer s. m. pl., introdução geral de uma obra científica ou artística; prefácio extenso;
preâmbulo; exposição preliminar dos princípios de uma ciência ou arte.

Laurentina disse...
"FASCISMO NUNCA MAIS!!!
IRRA!!!
QUERO PENSAR."
Só pensar??? Desses já existem Q.B.

Isabel-F. disse...
"É ainda minha opinião que a Blogosfera, que informa, se pretende ser credível, não pode ser subscrita por anónimos, que se escondem por trás de nicks e que ninguém sabe quem são ...."
Tanta preocupação com nicks? Porque não com o novo sistema de denúncias anónimas? Desconhecem tal? É grave, a não informação voluntária é colaboração. Estou totalmente de acordo com o que disse o/a Kaotica"Afinal, que menos valia tinha um Alvaro de Campos comparado com um Fernando Pessoa, só para pôr as coisas a um outro nível mais elevado?"
Preocupem-se com as situações graves, o resto é pura perda de energia e bláblá tipo o que conhecemos lá pros lados de S. Bento.

Vou ficar por aqui, não fazendo destes exemplos os meus alvos, sim esperando que passem os vossos olhinhos pelo que aqui está escrito e pensem. Se conseguirem!
Liberdade é uma forma de vida que implica muita responsabilidade.
Com ela somos obrigados a falar e a ouvir a Verdade, será que estão preparados para ambos os casos?
Vou continuar a passar por aqui e a deixar a minha opinião, neste momento resume-se ao seguinte:
Organizem os vossos Blogs.
Aproveitem os vosso espaço da melhor forma.
Esse é o acto fundamental para uma Bloguesfera limpa e informativa.
DIVERSIDADE. VERDADE. HUMANIDADE


Cumps
Kolmi
Maria

Paulo disse...

Concordo e aprovo.

Laurentina disse...

Maria ...
Bem hajas , deves achar-te muito iluminada.
Será que já sentiste na pela a mão da PIDE?! Pois olha eu já filha ... fica bem com a tua DIVERSIDADE. VERDADE. HUMANIDADE ...


Eu com o simples comentário que aqui deixei e que tanto te incomodou só quis dizer que concordava com o que os outros ja tinham escrito ...

beijão grande

Arrebenta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Arrebenta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Arrebenta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luís Alves da Costa disse...

Nunca o que foi aqui escrito se revelou tão atual...